23.4.15

Paulo Malária conta como compôs "A Peleja de Karl Marx Contra o Império do Kapital"

Às vezes o Acidente recebe  mensagens interessantíssimas, que merecem respostas à altura. Desta feita a missiva chegou através da página Acidente Rock Band no Facebook. Leia:

"Karl Marx" por John Jabez Edwin Mayall - International Institute of Social History in Amsterdam, Netherlands. Licenciado sob Domínio público, via Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Karl_Marx_001.jpg#/media/File:Karl_Marx_001.jpg
Karl Marx, por John Jabez Edwin Mayall
"Olá, Boa noite! meu nome é Viviane eu sou estudante de Direito e tenho que apresentar a obra de Karl Marx, e neste trabalho tenho que apresentar uma música com alguns de seus conceitos, então eu pesquisando achei a música da Banda Acidente. Preciso informar por exemplo quem é o autor da letra, o cantor, quando foi lançada e qual a relação entre os conceitos e a música. Se vocês puderem me ajudar com alguma informação ficarei imensamente grata. Desde de já, agradeço. Abraços."

OI Viviane! Sou o Helio Jenné, um dos fundadores da banda em 1978 e ainda toco com o Malária no Acidente. Legal a sua pesquisa. Ele é o autor (e também o cantor e produtor) de A Peleja de Karl Marx Contra o Império do Kapital . A música tem 5' 29" e foi publicada no CD "Não Pode Ser Vendido Separadamente", de 2007.

A PELEJA DE KARL MARX CONTRA O IMPÉRIO DO KAPITAL

Conta o autor Paulo Malária, "Compus essa música por volta de 76 77 e ela é inspirada num famoso cantador de cordel nordestino chamado Zé Limeira(*), porém misturada com um hábito que usávamos muito para driblar a censura do regime militar, que era apelar para o nonsense mais absurdo, totalmente desprovido de sentido. Assim, a primeira metade da letra é composta de fatos verdadeiros, ainda que tratados com linguajar empolado que caracteriza a literatura de cordel. Já a segunda metade, é totalmente inverídica, culminando com o Hitler mandando Karl Marx para um campo de concentração.
Não sei nem se os dois foram contemporâneos, mas, se chegaram a coexistir, Carl Marx já devia estar bem velhinho quando Hitler nasceu.
Submeti essa letra à censura federal em 1977 e ela voltou com o carimbo "vetado, face ao parecer". Eram inteligentíssimos esses censores.
Cuidado para não transformar sua exposição de motivos em uma galhofa, uma pandega, porque nenhum historiador deixará de se indignar com o desfecho inusitado conferido ao grande pensador alemão.
Um abraço, obrigado por ter escolhido essa canção. Use e abuse desta singela obra."

Zé Limeira (Teixeira, 1886 — Teixeira, 24 de dezembro de 1954) foi o cordelista/repentista mais mitológico do Brasil. Ficou conhecido como Poeta do Absurdo. (Fonte? Wikipedia).
Conheça o Blog Zé Limeira, o poeta do absurdo

Zé Limeira

Nenhum comentário: