Paulo Malária conta como compôs "A Peleja de Karl Marx Contra o Império do Kapital"

Às vezes o Acidente recebe  mensagens interessantíssimas, que merecem respostas à altura. Desta feita a missiva chegou através da página Acidente Rock Band no Facebook. Leia:

"Karl Marx" por John Jabez Edwin Mayall - International Institute of Social History in Amsterdam, Netherlands. Licenciado sob Domínio público, via Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Karl_Marx_001.jpg#/media/File:Karl_Marx_001.jpg
Karl Marx, por John Jabez Edwin Mayall
"Olá, Boa noite! meu nome é Viviane eu sou estudante de Direito e tenho que apresentar a obra de Karl Marx, e neste trabalho tenho que apresentar uma música com alguns de seus conceitos, então eu pesquisando achei a música da Banda Acidente. Preciso informar por exemplo quem é o autor da letra, o cantor, quando foi lançada e qual a relação entre os conceitos e a música. Se vocês puderem me ajudar com alguma informação ficarei imensamente grata. Desde de já, agradeço. Abraços."

OI Viviane! Sou o Helio Jenné, um dos fundadores da banda em 1978 e ainda toco com o Malária no Acidente. Legal a sua pesquisa. Ele é o autor (e também o cantor e produtor) de A Peleja de Karl Marx Contra o Império do Kapital . A música tem 5' 29" e foi publicada no CD "Não Pode Ser Vendido Separadamente", de 2007.

A PELEJA DE KARL MARX CONTRA O IMPÉRIO DO KAPITAL

Conta o autor Paulo Malária, "Compus essa música por volta de 76 77 e ela é inspirada num famoso cantador de cordel nordestino chamado Zé Limeira(*), porém misturada com um hábito que usávamos muito para driblar a censura do regime militar, que era apelar para o nonsense mais absurdo, totalmente desprovido de sentido. Assim, a primeira metade da letra é composta de fatos verdadeiros, ainda que tratados com linguajar empolado que caracteriza a literatura de cordel. Já a segunda metade, é totalmente inverídica, culminando com o Hitler mandando Karl Marx para um campo de concentração.
Não sei nem se os dois foram contemporâneos, mas, se chegaram a coexistir, Carl Marx já devia estar bem velhinho quando Hitler nasceu.
Submeti essa letra à censura federal em 1977 e ela voltou com o carimbo "vetado, face ao parecer". Eram inteligentíssimos esses censores.
Cuidado para não transformar sua exposição de motivos em uma galhofa, uma pandega, porque nenhum historiador deixará de se indignar com o desfecho inusitado conferido ao grande pensador alemão.
Um abraço, obrigado por ter escolhido essa canção. Use e abuse desta singela obra."

Zé Limeira (Teixeira, 1886 — Teixeira, 24 de dezembro de 1954) foi o cordelista/repentista mais mitológico do Brasil. Ficou conhecido como Poeta do Absurdo. (Fonte? Wikipedia).
Conheça o Blog Zé Limeira, o poeta do absurdo

Zé Limeira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Paulo Malária criou uma playlist de músicas gravadas pelo Acidente

Paulo Izecksohn conta sua experiência da viagem ao Chile em 1999